quinta-feira, 17 de novembro de 2011

3D&T Halo - SPARTANs

Continuando a minha demorada adaptação de Halo para 3D&T, agora trago os protagonistas da série os SPARTANs. Comentem e opinem, espero que apreciem a postagem, deu um baita trabalho pesquisar sobre o assunto.


A Origem

O programa SPARTAN começa em 2321 com a ativação do projeto ORION. Lançado pelo Escritório da Inteligência Naval do projeto é nomeado após o Braço de Orion da Via Láctea. 



O objetivo era construir ORION em protocolos de bioengenharia com sede em 2164 e criar um soldado mais forte e melhor do que qualquer coisa antes dele. Os primórdios inicial do ORION foram apenas um teste para ver o que poderia ser realizado com os avanços da época, e os candidatos do projeto ORION eram todos voluntários das forças armadas dos militares - esse punhado de candidatos passaram por testes numerosos e melhoramentos corporais ao longo da duração do projeto. 

No entanto, os resultados foram muito menores do que o esperado e, eventualmente, os candidatos foram semeadas na cadeia de comando regular depois que o projeto foi declarado ineficaz e encerrado.





O Projeto SPARTAN-II

Nos anos seguintes, após a desativação do Projeto Orion em 2506 a eficácia das pequenas forças especiais na luta contra os rebeldes se tornaram muito grande para o Conselho de Segurança gerenciar. 



Como os ataques rebeldes foram se tornando mais eficientes e as respostas militares mais pesadas, a necessidade de campanhas militares em grande escala foram se tornando cada vez mais necessária. 


O projeto SPARTAN-II, foi concebido pela Dr. Catherine Halsey da seção da ONI 3, como o sucessor do projeto Orion original, considerada a melhor solução possível para acabar com o conflito com os rebeldes. 


O primeiro objetivo foi criar um grupo de soldados de elite. O segundo objectivo era minimizar as baixas civis e evitar uma guerra civil. O terceiro objetivo era reduzir substancialmente o custo dos meios convencionais de pacificação.


Halsey propôs para o projeto mudanças radicais em muitos campos diferentes. O primeiro e mais polêmico foi o próprio Espartano, que foram selecionados por um determinados genes, e um determinado protocolo de restrição de idade. 


Eles também devem possuir superiores atributos físicos e mentais. Os estagiários deveriam ser escolhidos com valor militar, e com compreensão de guerra, algo que não pode ser ensinado a soldados alistados. 


Isso reduziu os candidatos até as crianças que seriam criados e ensinados na arte da guerra e os valores militares, desde tenra idade. Usando tais meios controversos da criação de um soldado fez com que o projeto teria de ser realizado na mais alta forma de sigilo.


Apesar de blindagem convencional que havia protegido soldados durante séculos, a segunda alteração radical do projeto SPARTAN-II  foi a integração do sujeito com um novo e poderoso exoesqueleto, concebido para ajudar a manter seu usuário seguro e proporcionar um poderoso meio de combater as forças inimigas. 


A desvantagem desta nova armadura é a sua exigência de alterar a estrutura do corpo dos usuárioas, efetivamente transformando os espartanos em cobaias humanas.


Apesar do enorme risco e os meios antiéticos de criação de novos soldados, o projeto SPARTAN-II teve sinal verde pelo alto escalão dentro do Escritório de Inteligência Naval, que concluiu que as vidas que poderiam ser salvas ultrapassavam em muito os riscos envolvidos. O projeto foi inicialmente concedido para 300 candidatos, embora o projeto tenha posteriormente sido reduzido a metade deste número.


Em 2517, 150 candidatos foram identificados através do seu DNA recolhidas  através do sistema de saúde da vacinação de civis. Porêm o programa foi reduzido a apenas Setenta e cinco crianças, todos com seis anos de idade e de ambos os sexos, que foram sequestradas.


A fim de preservar o sigilo do programa, as crianças foram substituídos por clones flash que iria morrer logo em seguida devido a várias complicações clínicas associadas com o flash-clonagem de um ser humano inteiro.


Os candidatos SPARTAN-II após serem sedados foram levados para a colônia de Reach, e la começaram a sua formação no âmbito não oficial, o seu nome tornou-se uma combinação de seus nomes próprios e um número, com nomes de família de ser descartado.


Os espartanos enfrentaram muita dificuldade durante os primeiros anos de formação:


Eles foram colocados em situações e exercícios que empurraram as suas capacidades ao seu limite e muito além. Seu treinamento rígido foi complementada com alto nível de educação, que incluía matemática, ciências, leitura, escrita e táticas militares. 


Embora a sua metodologia de treinamento tenha sido dura, ou mesmo brutal, em alguns aspectos, os instrutores sempre usaram muita disciplina, honra e respeito para com os espartanos. 


Eles foram ensinados a matar, mas, ao mesmo tempo, lhes foi ensinado a diferença entre certo e errado. 


Em 2525, aos quatorze anos de idade, iniciou a parte mais difícil da sua formação: o biológico procedimentos de melhoramento corporal que mataria 30 das 75 crianças recrutadas e prejudicar outras 12 pessoas que iria ser excluídas do programa SPARTAN-II, passando a participar do Escritório de Inteligência Naval, apenas 33 sobreviveram à procedimentos sem deformidades fisiológicas. 


Os corpos dos candidatos que morreram foram colocados em suspensão criogênica, na esperança de que poderia algum dia ser ressuscitada. Pelo menos alguns dos candidatos que foram mutilados foram finalmente reabilitados.
O Programa SPARTAN-III


Como a Guerra contra os Covenant progrediu e baixas surgiram de forma exponencial, foi ativado outro programa que foi ainda mais moralmente questionável que o programa SPARTAN-II.

Foi criado o Programa SPARTAN-III usando o programa anterior, como uma prova de conceito. Projetado para ser produzida mais rapidamente, a um custo menor, e com uma menor expectativa de vida, o programa SPARTAN-III destina-se a extrema operações de alto risco realizada no mais alto grau de sigilo.

Os candidatos SPARTAN-III são novamente crianças, mas desta vez tomadas de orfanatos, como resultado da perda de suas casas e famílias da invasão Covenant - os candidatos S-III são levados para o planeta Onyx e estão sob a liderança do Tenente-Comandante Kurt Ambrósio.

Ao longo da Guerra três equipes de SPARTAN-III são treinadas, entram em ação e morrem. A primeira equipe da Companhia Alpha S-IIIs é bem sucedido em destruir as forças do Covenant e rebeldes durante as batalhas de Mamoré, Nova Constantinopla e no Cinturão de Asteróides Bonanza - a sua última missão da operação: Prometeu em 2537 é considerado um sucesso, no entanto todos os Spartans da Equipe Alpha são mortos em ação.

A equipe Beta, é formada logo após a perda de Equipe Alpha, sua primeira missão Operação Torpedo, em 2545 também é considerado um sucesso, porém apenas dois, Tom-B292 e B091-Lucy sobreviveram dos 300 que participam da operação.

Tom  e Lucy são os formadores da terceira equipe a Gama S-IIIs, a terceira companhia de SPARTAN-IIIs completar seu aumento e muitas são implantadas em missões em outros lugares durante os últimos anos da guerra, quando o Mundo Shield em Onyx foi ativado.

Várias equipes de SPARTAN-IIIs sobreviveram à Batalha de Onyx e estão atualmente presos no Mundo Shield com os outros sobreviventes SPARTAN-II, com excepção de John-117.


Guerra

A Guerra contra os Covenant marcou uma mudança de objectivos para o programa,  inicialmente prevista para sufocar as rebeliões, os espartanos eram obrigados agora a batalha contra um adversário superior aos rebeldes: o Covenant. 

Esta nova ameaça acelerou os espartanos de formação para sua fase final: Projeto MJOLNIR. 

Com a armadura Mjolnir, os espartanos seriam a primeira importante resposta do CSNU contra a ameaça alienígena. Os espartanos eram altamente eficazes contra todas as ameaças e suas Heróicas ações salvaram inúmeras vidas humanas do ataque genocida realizado pelo Covenant. 

A proeza foi bem conhecida entre os Covenant, que chegaram a temer os espartanos como demônios. Em 2547, o programa SPARTAN-II foi revelado ao público em um esforço para elevar a moral entre o Conselho de Segurança.

Inevitavelmente, o pequeno número de SPARTAN-II diminuiu como vítimas da guerra. Mas como as façanhas dos espartanos eram um "boom" de propaganda muito importante para o Conselho de Segurança,a Seção II, do Escritório de Inteligência Naval emitiu a Directiva 930, que afirmou que SPARTANS mortos ou feridos seriam listados como "Perdido em Ação" ou "Ferido em Ação", mantendo assim a ilusão de 'invencibilidade" dos Espartanos. 

No final de 2552, todos exceto três dos espartanos restantes ativos encontraram-se no alcance a receber novas encomendas para a operação:. RED FLAG, uma operação que HIGHCOM esperava o fim da guerra.

A missão era comandar uma nave da Aliança, localizar a terra natal dos Covenant, e retornar com a liderança Covenant capturada para forçar um cessar-fogo.

No entanto, todos os preparativos foram interrompidos e, posteriormente cancelados pela invasão do Covenant do Reach. 

Na tragédia que se seguiu, a maioria dos SPARTAN-IIs foram mortos, embora alguns se abrigaram na Base CASTELO ONI. Dois fugiram a bordo do CSNU Pillar of Autumn.

A Pillar of Autumn logo chegou a instalação Halo 04, John-117, que acabou por destruir a impedir a propagação do Dilúvio. Depois da Batalha na Instalação 04, os sobreviventes retornaram e foram de encontro aos espartanos restantes. 

Os sobreviventes, em seguida, realizaram uma incursão que resultou na destruição de uma frota de ancoragem da Aliança, parando um plano de aliança para invadir a Terra. Os SPARTAN-II viriam a desempenhar um papel fundamental na batalha da Terra, a Batalha de Instalação 05, a Batalha de Onyx, e na batalha de Instalação 00.

MJOLNIR MARK V


Criado em paralelo ao programa spartan-ll, a armadura MJOLNIR é atualmente a mais avançada tecnologia militar tática não mão do homem.

Cada traje custa sozinho o preço de uma nave de pequeno porte. A ideia da Drª Catherine E. Halsey, é criar um exoesqueleto, auto suficiente capaz de tirar proveito pleno das capacidades físicas de um SPARTAN-ll. O Battlesuit é construído em camadas sobrepostas.

É um sistema fechado, capaz de atividade ou operações extra-veiculares em atmosferas tóxicas. É resitente contra Pulsos eletromagnéticos, radiação, e possui filtros que são completamente eficases na remoção de toxinas e bactérias do ambiente.

A armadura é composta de uma liga de multicamadas de notável força, com revestimento de refração capaz de dispersar uma quantidae limitada de ataques de energia. Contêm uma camada de gel embaixo da blindagem que regula a temperatura e pode mudar de forma reativa a sua densidade.

Através da interface neural, os pensamentos do usuário comandam os movimentos da armadura, a Sitese da máquina e da mente é tão rápido que é quase impossíveltraçar tempo de reação.

Entre o externo e o estofamento interno há uma camada de uma liga metálica e cristal líquido. Tecido por ferramentas moleculáres de memória optica superdensa que amplica a força e aumenta o tempo de reação. 

Infelizmente o sistema é tão reativo que seres humanos normais não podem usar a armadura sem se ferir. Apeas seres humanos que tem carboneto de ossificação de cerâmica, uma aumento esquelético como um SPARTAN-ll, pode seguramente usa-la.

A armadura também tem outras características que melhoram as habilidades do usuário, como cintos e coudres magnéticos, um avançado dysplay visual ligado a sensores nas luvas que detecta tipos de materiais, armas dispositivos portáteis, contagem de munição, link de rádio, acompanhamento de saúde e sistema de restauração da mesma, alimentos e outros utensílios.

Em sua fase acabada a Battlesuit MJOLNIR pesa meia tonelada, e com o computador de bordo ligado em paralelo a mente humanam torna a combinação SPARTAN-ll/MJOLNIR uma das ferramenta inteligentes mais devastadoras ja criadas.


SPARTANs Alterações Físicas

Um dos aspectos essenciais e mais perigosa do programa Spartan-II é o processo de melhoramento corporal que um espartano deve suportar. O processo consiste de injeções e cirurgias. Apenas uma pequena percentagem de indivíduos sobrevivem ao processo e se recuperar totalmente.


Efeitos

Embora o Espartano esteja em um estado inconsciente, um estado no qual o sujeito não deve sentir nenhuma dor, os efeitos dos processos de alteração corporal causa dor excruciante, estresse fisiológico e pode produzir parada cardíaca, além de complicações que podem resultar em falha do processo.

Cada procedimento é marcado com o seu conjunto de dor insuportável, o carboneto de ossificação cerâmica é dito que se sente como se os ossos  estivessem quebrando, como se os seus ossos fossem feitos de vidro e foram sendo esmagados.

O implante catalítica da tireóide e injeções de reforço muscular produzem dor extraordinária, como se as veias fossem injetadas com napalm, bem como pulsando e parecendo que estão sendo arrancadas da pele. 

O efeito dos músculos aumentados em densidade é sentido como o corpo inteiro estar em chamas misturado com o sentimento de vidro incandescente que está sendo trabalhado no corpo do sujeito.

A fabricação de supercondutores neurais é sentido como se fogo queimando ao longo dos nervos e sobre suas espinhas.

Os efeitos secundários de concluir os melhoramentos variam, tal como o cérebro do sujeito reaprende como mover seu corpo, com reflexos rápidos e músculos mais fortes, experiências confusão neurológicos que incluem a queda exagerada dos reflexos sobre os problemas se agarrar um objeto ou problemas agarra-lo. O sujeito pode tem os olhos sangrando, dor incrível, dores constantes nos ossos.

Como o tempo os efeitos colaterais diminuem totalmente ou a ponto de ser considerado leve.



Resultados

Apenas alguns meses após os procedimentos de melhoramentos os SPARTAN-II foram observados ser capazes de correr a velocidades superiores a 55 km/h. Kelly-087 era capaz de correr mais rápido do que essa velocidade. 

Mais tarde, durante a guerra do Homem-Covenant enquanto Kelly-087 estava com sua armadura MJOLNIR, foram registradas velocidade superiores a 62 km/h  John-117 foi anotado velocidades de cerca de 105 km / h durante um exercício de treinamento com o MJOLNIR MARK V, no entanto o seu tendão de Aquiles foi rasgado porque a tensão colocada sobre o corpo dele era insustentável.

O SPARTAN-II são capazes de levantar três vezes o peso de seu corpo, que é o dobro do peso normal de um ser humano médio, devido aos melhoramentos cerâmicos dos ossos, além de sua densidade muscular. 

John-117 ficou conhecido por usar sua força aumentada combinada com suas habilidades para matar um animal com as mãos durante a Operação: First Strike. 

Cal-141 foi capaz de bloquear o Martelo de gravidade de um Jiralhanae com uma única mão, evitando oscilações múltiplas a partir do Chieftain, usou a sua força muscular maior para saltar a grandes alturas, e ferir o Chieftain com alguns socos e pontapés.

Seu tempo de reação, é impossível traçar com precisão, mas é estimada em  vinte milissegundos mas significativamente mais rápida em situações de combate ou com a assistência AI. 

Os tempos de reação do SPARTAN-II são tão rápidas, que aumentam em estados de stress, são capazes de pensar, de reagir e ver as coisas acontecem em câmera lenta e rápida. - É apelidado como "SPARTAN Time" por Kelly-087 SPARTAN-II são também são conhecidos pela sua visão aguçada e serem capaz de ver praticamente no escuro.

Especialistas afirmam que após com o tempo os espartanos vão se adaptando aos melhoramentos e portanto, muitos dos seus atributos têm aumentado ao longo do tempo. 

Processo de criação

Carboneto de Ossificação Cerâmica: enxertos  na estrutura esquelética para fazer os ossos praticamente inquebráveis. 

Reforço Muscular: Injeções complexas de proteína é injetada por via intramuscular para aumentar a densidade do tecido e diminuir o tempo de recuperação.

Hormônio do crescimento: Implante catalisador contendo hormônio do crescimento humano é implantado na tireóide para estimular o crescimento dos tecidos esqueléticos e musculares. 

Melhoramento Visual: impulsiona o fluxo dos vasos sanguíneos da retina do sujeito. Produz um aumento acentuado da percepção visual.

Supercondutor Neural: alteração de transdução de nervo bioelétrica para blindagem de transdução de eletrônicos. Aumento de 300% em reflexos assunto. A evidência anedótica de aumento significativo em inteligência, memória e criatividade.






SPARTAN-II e III em 3D&T






SPARTAN (4 Pontos)


Os SPARTAN são um grupo de elite de soldados alterados genéticamente, e treinados a perfeição para ser a ultima linha de defesa da terra em qualquer situação.


A sua criação surgiu da necessidade de pequenas forças especiais para as várias missões sigilosas da época, com o tempo os SPARTANs se tornaram essenciais na Guerra contra os Covenant.


• Força, Habilidade, Resistência +1. Devido ao processo de melhoramento corporal de um SPARTAN ele se torna muito forte e resistente e também mais rápido, inteligente e criativo.


• Visão Aguçada. O seu Melhoramento corporal lhe da uma visão extremamente poderosa, podem ver no escuro com perfeição, mas deve haver uma fonte de luz, por menor que seja.


• Battlesuit. Após o seu treinamento um SPARTAN recebe a sua MJOLNIR MARK V, uma armadura de ultima geração que o acompanha durante toda a sua vida. Essa armadura, é um Mecha com a mesma pontuação do SPARTAN e deve ter obrigatoriamente as seguintes Características: Armadura 2 e Poder de Fogo 1, Aliado, Parceiro.




Mais postagens Sobre Halo


A Aliança Covennat



Curiosidades:


A seguir o paradeiro dos SPARTAN-II e III recrutados a partir de 2517. 


Legenda:
MIA="Perdido em Ação" 
KIA = "Morto em Ação"

SPARTAN-006: Jai - desaparecidos em ação com o resto da Gray Team.
SPARTAN-008: Li - Apontado como MIA durante Slipspace na batalha anomalia. Assumindo KIA devido ao plasma próximo ao torpedo de detonação.
SPARTAN-023: Daisy - Apontada como MIA, confirmou KIA depois de tentar salvar um pelicano e os seus ocupantes contra o fogo inimigo.
SPARTAN-029: Joshua - Apontado como MIA, embora assumido KIA durante o  Fall of Reach, devido a uma batida direta de armas um cruzador Covenant de plasma.
SPARTAN-030: Vinh - Apontado como MIA, embora KIA assumido após a queda de Reach.
SPARTAN-034: Samuel - Apontado como MIA, embora confirmada KIA devido à destruição do navio Aliança onde tinha embarcado.
SPARTAN-039: Isaac - Apontado como MIA, embora KIA assumido após a queda do Reach.
SPARTAN-042: Douglas - Visto pela última vez a bordo do Spirit of Fire, em 2531. Listado como MIA.
SPARTAN-043: William - Apontado como MIA, embora confirmada KIA  durante a Batalha de Onyx
SPARTAN-044: Anton - Apontado como MIA durante Slipspace na batalha anomalia. Assumindo KIA devido ao plasma próximo ao torpedo de detonação.
SPARTAN-047: Keiichi - presumivelmente listado como MIA no Reach. Visto pela última vez durante a campanha colheita.
SPARTAN-051: Kurt - Apontado como MIA, embora KIA confirmada após a detonação de duas ogivas nucleares no núcleo de Onyx.
SPARTAN-052: Jorge - Apontado como MIA. Oficialmente KIA após o início de uma bomba durante a Slipstream Fall of Reach.
SPARTAN-058: Linda - ativa do mundo Shield Onyx. Clinicamente KIA durante o Fall of Reach, mas depois ressuscitou após a Batalha de Instalação 04. Listado como MIA do CSNU.
SPARTAN-059: Malcolm - Apontado como MIA, embora confirmada KIA durante o Fall of Reach.
SPARTAN-062: Maria - Aposentado.
SPARTAN-069: Salomão - Apontado como MIA. Confirmado KIA durante uma missão SPARTAN para resgatar a Dra. Catherine Halsey.
SPARTAN-079: Arthur - Apontado como MIA. Confirmado KIA por caças Seraph classe durante SPARTAN missão para resgatar a Dra. Catherine Halsey.
SPARTAN-087: Kelly - ativo do mundo Shield Onyx. Listado como MIA do CSNU.
SPARTAN-092: Jerome - Visto pela última vez a bordo do Spirit of Fire, em 2531. Listado como MIA.
SPARTAN-093: Grace - Apontada como MIA. Confirmado KIA durante a Operação: First Strike na Unyielding Hierofante.
SPARTAN-101: Victor - Ativo em agosto de 2552.
SPARTAN-104: Frederic - ativo do mundo Shield Onyx. Listado como MIA do CSNU.
SPARTAN-111: Adriana - MIA com o resto da Gray Team.
SPARTAN-117: João - MIA. Visto pela última vez em cryosleep a bordo da Fragata CSNU Forward Unto Dawn, à deriva em direção a um planeta desconhecido.
SPARTAN-122: Joseph - Status desconhecido, visto pela última vez em 2525. Assumindo KIA durante Fall of Reach.
SPARTAN-130: Alice - Visto pela última vez a bordo do Spirit of Fire, em 2531. Listado como MIA.
SPARTAN-137: Carris - Status desconhecido. Presumivelmente KIA durante o Fall of Reach.
SPARTAN-141: Cal - Apontado como MIA, embora confirmado KIA durante uma operação de assassinato.
SPARTAN-142: James - Apontado como MIA, provavelmente KIA durante o Fall of Reach.
SPARTAN-184: Mike - Apontado como MIA com o resto da Gray Team.
SPARTAN-187: Randall - Apontado como MIA.
SPARTAN-188: Sheila - Apontada como MIA, embora confirmada KIA durante a Batalha de Miridem.
SPARTAN-252: "Beta Red real" - listado como MIA. Confirmado KIA durante o Fall of Reach.
SPARTAN-255: "Black-One" - Ativo em agosto de 2552.
SPARTAN-258: "Black-Dois" - Ativo em agosto de 2552.
SPARTAN-261: "Black-Three" - Ativo em agosto de 2552.
SPARTAN-263: "Red-Quinze" - listado como MIA. Confirmado KIA durante o Fall of Reach.
SPARTAN-301: Spartan Inominável (Harvest) - Apontado como MIA. Confirmado KIA durante a campanha de colheita.

Estes eram os espartanos que ficaram muito feridos para continuar o serviço ativo após procedimentos de melhoramentos falharam. Eles foram transferidos permanentemente dentro do Escritório de Inteligência Naval, embora o Dr. Halsey declarou que alguns podem ter uma recuperação completa com a reabilitação e voltar a entrar em serviço como SPARTANS totalmente funcional.

SPARTAN-005: René - Dispensado. Reabilitação possíveil mencionado por Halsey
SPARTAN-018: Kirk - Dispensado. Reabilitação possíveil mencionado por Halsey.
SPARTAN-066: Soren - Dispensado devido a falhas no processo de aumento listado como desaparecido em ação em Reach após ser derrubado em um interceptor Longsword.
SPARTAN-075:. Cassandra - Dispensado devido a falhas em procedimentos de aumento, atualmente residindo na recuperação M25L Estação.
SPARTAN-084: Fhajad - Dispensado, enviados para trabalhar para a ONI. Sofrido espasmos musculares incontroláveis devido a falhas em acréscimo, desconhecido status atual. Apontado por Halsey para reabilitação.
SPARTAN-303: Ralph - listado como MIA, confirmou KIA na Campanha de Colheita.



Fonte:www.bungie.netHalo Nation

4 comentários:

  1. A cara, muito show. Seria legal isso organizado em um PDF. Parabéns pelo trabalho.

    ResponderExcluir
  2. concerteza quando eu terminar a adaptação criarei um PDF.

    Grande Abraço!!!!

    ResponderExcluir
  3. Excelente adaptação. Parabens por este otimo trabalho.

    ResponderExcluir
  4. Cara fenomenal tirou todas as minhas dúvidas!

    ResponderExcluir

Qual a sua opinião? De um Plus nessa postagem!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...